quarta-feira, 2 de maio de 2007

Estresse Nos Impulsos Nervosos

Fonte:babcock.cals.wisc.edu/Images/P-Fig21_1.gif

Figura 1: Reflexo de ejeção do leite-quando a vaca é estimulada pelo toque na pele do úbere, pelo som do equipamento de ordenha ou pela visão de um bezerro, impulsos nervosos passam para o hipotálamo no cérebro. O hipotálamo estimula a glândula pituitária posterior a liberar ocitocina. O sangue carrega esse hormônio às células mioepiteliais que circundam o alvéolo. A contração das células mioepiteliais força o leite para dentro do sistema de ductos e da cisterna da glândula. Excitação ou dor inibem o reflexo de ejeção do leite.

Inibição da descida do leite
Em algumas situações, o reflexo de ejeção do leite pode ser inibido. Quando isso ocorre, o leite não é liberado dos alvéolos e somente uma fração pequena pode ser coletada. Impulsos nervosos são enviados à glândula adrenal quando eventos incômodos ocorrem durante a ordenha (dor, excitação ou medo). O hormônio adrenalina, liberado pela glândula adrenal, pode induzir a constrição dos tecidos sanguíneos e capilares no úbere. O fluxo sanguíneo reduzido diminue a quantidade de ocitocina enviada ao úbere. Além disso, a adrenalina parece inibir diretamente a contração das células mioepiteliais no úbere. Portanto, a vaca pode não ser ordenhada rapidamente e completamente nas seguintes situações:
# Preparo inadequado do úbere
# Atraso na colocação de teteiras (ou início da ordenha manual) minutos após preparo do úbere
# Situações diferentes que levam à dor (apanhar) ou medo (gritar, latir)
#Falha no funcionamento do equipamento de ordenha
Após a primeira parição, as vacas devem ser treinadas à rotina de ordenha. A situação emocional que ocorre nessas vacas pode ser o suficiente para inibir o reflexo de ejeção do leite. Uma injeção de ocitocina em várias ordenhas pode
ajudar. Entretanto, essa prática não deve ser feita rotineiramente porque algumas vacas podem rapidamente se tornar dependentes da injeção para o reflexo de ejeção do leite.




Um comentário:

Ronaldo disse...

O estresse é um dos fatores que mais interfere na produção leiteira,poís as vacas lactantes liberam hormônios inibitórios que agem impedindo á descida do leite ou mesmo na síntese do mesmo.Para isso,há nescessidade de aplicar adaptações e seguir uma rotina constante no manejo.Fatores a ser considerados:
# Barulho;
# Agressividade;
# Variações no manejo;
# Doenças patológicas;
# Alimentação ineficiente.

Considerações Finais:
Com base em pesquisas realizadas recentemente, é possível concluir que todos os mecanismos mencionados acima estão intimamentes relacionados com ação do sistema nervoso e qualquer alteração do mesmo irá provocar um desiquilíbrio na homeostase do animal e consequentemente transtornos irreversíveis.